Pensamentos, desabafos, amores e desamores, encontros e desencontros, sentimentos contraditórios, palavras de conforto, tudo o que uma adolescente pensa ♥

As coisinhas que eu escrevo

Terça-feira, 19 de Outubro de 2010



Naquela tarde de verão, cheguei à praia e estava quase deserta. Pousei a mochila, tirei os chinelos e a roupa, estendi a toalha e sentei-me, o sol começou a queimar-me a pele com um calor sublime, observei as crianças que brincavam à beira mar com uma alegria digna de se ver, fechei os olhos. Logo senti o cheiro da maresia, aquele cheiro que eu tanto gosto e tanto me contagia, ouvi ao longe o som das ondas a baterem nas rochas e quase que consegui ver a espuma branca a chegar à zona de rebentação, beijar a areia por onde passava e apagar qualquer pegada que alguém tivesse deixado ao passar por ali. Abri os olhos finalmente e a imagem que tinha imaginado confirmou-se, as crianças continuavam contudo a brincar à beira mar, a melodia das ondas intensificou-se, era um som harmonioso, compassado e familiar, era aquele som que me acalmava a alma sempre que pensava nele e de facto acalmou-me como sempre o fez até hoje. Decidi levantar-me e caminhei até à beira da água, a areia fazia-me cócegas nos pés, uma sensação que adoro e que nunca quero perder, a água tocou-me os pés timidamente, estava fria e isso fez com que se propagasse uma onda de arrepios pelo meu corpo no entanto foi um arrepio bom.
Caminhei em direção ao sul, deixei um rasto de pegadas que o mar mais tarde se encarregou de apagar, olhei à minha volta e tudo estava normal, tudo estava como devia estar, tudo se encontrava disposto do mesmo modo que no ano anterior...
escrito por Daniela às 22:23