Pensamentos, desabafos, amores e desamores, encontros e desencontros, sentimentos contraditórios, palavras de conforto, tudo o que uma adolescente pensa ♥

As coisinhas que eu escrevo

Quinta-feira, 07 de Outubro de 2010

 

A frase do título é de um livro, não o li apenas vi essa frase e não podia ser mais verdadeira nesta altura da minha vida...

Ando numa fase em que nada de nada me encanta, não sei o que se passa nem quero saber, mas atrevo-me a dizer que gosto de não saber o que tenho, encanto-me por poucas coisas verdadeiramente neste momento, vivo à deriva dos sonhos que sonhei, não me preocupo com o que pensam de mim ou deixam de pensar, não tenho qualquer tipo de problemas comigo mesma, os que tinha resolvi-os todos, contudo vivo num mundo sem qualquer sentido, não sei para que lado caminho ou em que sentido levo a vida, tomei a decisão de nem um esboço querer fazer, não me preocupo em não ter sentido para a minha vida, porque se tivesse tudo planeado à risca a desilusão de não realizar tudo o que tinha planeado seria enorme e devastadora, não crio ilusões porque aprendi que a ilusão é uma mentira, é uma ilusão e ponto final.

Quando olho pela janela e vejo as nuvens, o sol e o azul do céu fico encantada, mas não é esse encanto que me encanta, quero algo concreto, não que o céu, as nuvens ou o sol não sejam concretos mas é um encanto um tanto ou quanto duvidoso.

Eu gosto da frase e gosto do que ela me transmite, deveria ser sempre assim, para sempre.

 

(está tão mas tão mau :x)

escrito por Daniela às 21:15