Pensamentos, desabafos, amores e desamores, encontros e desencontros, sentimentos contraditórios, palavras de conforto, tudo o que uma adolescente pensa ♥

As coisinhas que eu escrevo

Quarta-feira, 12 de Janeiro de 2011


Há pessoas que mesmo quando têm tudo à frente do nariz preferem ignorar. Não sei porque é o fazem, é estúpido ignorar os factos, por muito que lhes custe, é estúpido faze-lo! Em vez de tentarem solucionar um problema que aparentemente tem solução, porque tudo tem solução excepto a morte ou uma doença grave, ignoram. 
O que me deixa irritada é mesmo isso, as pessoas pensarem que os problemas delas são os maiores problemas do mundo e nem fazem nada para soluciona-los, tentam empurrar os problemas para cima dos outros na esperança que alguém os leve ou fique com eles, mas isso não acontece, os nossos problemas são nossos e por muito que nos custe não os podemos dar a ninguém, podemos sim pedir ajuda para os solucionar, é para isso que servem os amigos, entre outras coisas, para ajudar quando precisamos de alguma coisa. 
Mas agora digam-me, os amigos servem só para ajudar, sair à noite, beber café e fazer companhia quando mais ninguém quer estar connosco? Ou também servem para abrir os olhos quando é preciso, dar nas orelhas sempre que fizemos algo errado e dizer as verdades mesmo que estas magoem? Esclareçam-me porque não sei até que ponto estou a fazer o papel de amiga, porque é isso que tento fazer, mas sem qualquer tipo de retribuição, pelos vistos não devo ser assim tão boa amiga como pensava. Sinto-me sozinha por não ter aqueles que julgava ter, sinto-me triste porque não tenho ninguém que me faça sorrir, chateada porque não sei com quem posso contar.
escrito por Daniela às 16:19

Amoor , tu és a melhor amiga que alguém pode ter .
Concordo , quando dizes que as pessoas preferem ignorar os factos ... É verdade e eu sei disso !

Não penses que estás sozinha , pqe não estás;
Não penses que não serves para amiga , pqe serves ;
Não penses que não te amo , pqe AMO E MUITO !



ES VIDA (L)
MCoelho a 13 de Janeiro de 2011 às 20:05