Pensamentos, desabafos, amores e desamores, encontros e desencontros, sentimentos contraditórios, palavras de conforto, tudo o que uma adolescente pensa ♥

As coisinhas que eu escrevo

Quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010


Querido A.,
Gostava de saber a tua morada ou ter o teu mail, para te poder mandar as cartas e os textos que te escrevi ao longo destes meses, gostava de saber qual era a tua reacção ao abrires o correio e veres um molho de cartas para ti, gostava de saber se as ias ler e depois disso me ias mandar mensagem a perguntar o que se passava para te ter mandado aquelas cartas. Pois bem, isso não passa de um delírio da minha parte, não tenho a tua morada nem o teu mail e mesmo que tivesse, não te iria mandar NADA daquilo que te escrevi, sei que não ias prestar a mínima atenção e ias gozar com os meus sentimentos em relação a ti, porque tu és do tipo de rapaz que come e deita fora, peço desculpa usar esta expressão, sei que a odeias e já me juras-te a pés juntos uma vez que não eras assim, que quando estavas com uma rapariga só ela te importava, mas eu já estive contigo e sei que se calhar a história não é bem assim, não és do tipo de rapaz que só tem olhos para uma rapariga, antes pelo contrário davas-me sempre um desprezo incrível quando te mandava mensagem, se calhar por isso o R. entrou na minha vida numa quarta feira à tarde como forma de te esquecer, mas não esqueci, só fiz pior. Queria estar contigo, essa vontade aumentou depois de ter estado com o R. eu errei, sei disso, contei-te e a resposta que me deste foi que não éramos namorados não querias saber disso para nada, aí está a prova como não te importas, és um miúdo mimado e imaturo, não sabes destingir as coisas importantes das coisas não importantes, mas também não estou aqui para te dar uma lição de moral, esse trabalho não me compete a mim mas sim aos teus pais.
Com isto acabo as minhas cartas para ti, como se costuma dizer "Ano Novo, Vida Nova." então assim será, vou arrumar o nosso livro numa estante bem longe do meu alcance, assim sei que não volto a ir buscá-lo, já o fiz com o P. posso fazer também contigo, sou forte o suficiente para enfrentar o mundo sem o sentimento que nutro por ti.
Mais uma vez, obrigado por todos os momentos e desculpa qualquer coisa que fiz de mal, nomeadamente o R.


Beijinhos, gosto muito de ti.

escrito por Daniela às 12:17

estou a lê-lo. temos gostos parecidos,hum. é tão difícil não conseguir dizer logo tudo de uma vez..
Marta a 30 de Dezembro de 2010 às 13:40